Notícias e Novidades
Pecuaristas de Minas Gerais antecipam estação de monta
Segunda-feira, 09 de Novembro

Os pecuaristas de Minas Gerais estão animados com o preço da arroba do boi gordo no mercado. Os investimentos em genética e adubação de pastagem estão sendo maiores nesta estação de monta, levando muitos desses pecuaristas a pensarem em aumentar o rebanho no próximo ano.

De olho na próxima temporada, o pecuarista Eduardo Cardoso decidiu antecipar a estação de monta em sua propriedade de cria, já tendo inseminado metade do rebanho.

– A estação de monta deste ano, nós começamos no dia 1º de outubro, apesar do clima nessa região do Triângulo Mineiro não estar favorável. Os pastos estavam secos, mas nós acreditamos que começamos cedo. A bezerrada vai nascer mais cedo e os bezerros das primeiras parições são muito mais saudáveis, são mais fáceis de serem cuidados e, consequentemente, vão dar uma produtividade mais acentuada – diz.

As matrizes são criadas a pasto e o processo de seleção prioriza a precocidade sexual das fêmeas e características econômicas, como ganho de peso, rusticidade e conformação para corte. Com o preço alto da arroba do boi gordo, o pecuarista passou a investir mais em adubação de pastagem e vai aumentar a quantidade de fêmeas no rebanho.

– A gente pretende chegar a 1,5 mil matrizes em reprodução. Hoje, nós estamos com 1,3 mil. Com adubação nós queremos melhorar um pouco a lotação dos pastos e com isso nós vamos ter mais matrizes em reprodução, aumento o rebanho e a quantidade de animais a venda – afirma.

A valorização da arroba do boi gordo e os preços altos do bezerro estimulam investimentos em toda a cadeia produtiva. Na fazenda de Alan Pfeiffer, a procura por touros foi maior este ano. O preço médio por animal subiu de R$ 7 mil para R$ 10 mil. Para aproveitar o bom momento nas vendas, o pecuarista planeja aumentar a produção.

– Esse aumento [da produção] não é de um dia para o outro, isso demora um pouco para conseguir ofertar mais touros para o mercado, mas a gente tem aumentado essa quantidade gradativamente. Nossa intenção é aumentar a capacidade de suporte das fazendas para poder aumentar nosso rebanho e aumentar a oferta com qualidade do nosso material genético – diz.

Este ano, todos os touros foram vendidos e a fazenda agora já começa a preparar os jovens reprodutores para a próxima estação de monta. Alguns estão com 18 meses de idade e devem e estar prontos para serem utilizados na reprodução em maio de 2016. Segundo o pecuaristas, produtores que estão querendo repor seus rebanhos já o procuraram. Ele aumentou em 10% as vendas de sêmen de nelore neste ano. 



Fonte: Canal Rural (Henrique Bighetti)




deixe seu
comentário

Assine nossa

newsletter